Santo Anjo da Guarda de Portugal

10  Junho

Nota Histórica  
Os Anjos que fazem parte desse mundo invisível, a que se estende também a acção criadora de Deus, vivem inteiramente dedicados ao louvor e ao serviço de Deus. A inteligência humana tem dificuldade em exprimir a natureza dessas criaturas espirituais. A sua missão, porém, é-nos mais conhecida através da Bíblia, que, em tantos passos, dá testemunho àcerca da existência dos Anjos.
Mensageiros de Deus, em momentos decisivos da História da
Salvação, os Anjos estão encarregados da Guarda dos homens (Mt. 18, 10: Act. 12,3) e da protecção da Igreja (Ap. 12, 1-9). A fé cristã crê também que cada nação em particular tem um Anjo encarregado de velar por ela.
Em Portugal a devoção ao Anjo da guarda é muito antiga. Tomou, porém, um incremento especial com as Aparições do Anjo, em Fátima, aos Pastorinhos. Pio XII mandou inserir esta comemoração no nosso Calendário.
 
   
Missa  
ANTÍFONA DE ENTRADA Dan 3, 95
Bendito seja o Senhor, que enviou o seu Anjo
e libertou os seus servos, que n’Ele confiaram.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e omnipotente,
que destinastes a cada nação o seu Anjo da Guarda,
concedei
que, pela intercessão e patrocínio do Anjo de Portugal,
sejamos livres de todas as adversidades.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Dan 10, 2a, 5-6.12-14ab
«Miguel, um dos chefes principais, veio em meu auxílio»

Leitura da Profecia de Daniel
Naqueles dias,
ergui os olhos e vi um homem vestido de linho,
com um cinturão de ouro puro.
O seu corpo era semelhante ao topázio
e o rosto tinha o fulgor do relâmpago;
os olhos eram como fachos ardentes,
os braços e as pernas eram brilhantes como o bronze polido
e o som das suas palavras era como o rumor duma multidão.
Ele disse-me:
«Não temas, Daniel,
porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração
para compreender
e te humilhaste diante do teu Deus,
as tuas palavras foram ouvidas.
É por causa das tuas palavras que eu venho.
O chefe do reino da Pérsia resistiu-me durante vinte e um dias. Então Miguel, um dos chefes principais, veio em meu auxílio. Eu estive lá, a fazer frente ao chefe dos reis da Pérsia,
e vim para te explicar o que vai suceder ao teu povo,
no fim dos tempos».
Palavra do Senhor.


Pode também utilizar-se Ex 23, 20-23a: 2 de Outubro


SALMO RESPONSORIAL Salmo 90 (91), 1 e 3.5b-6.10-11.14-15 (R. 11)
Refrão: O Senhor mandará aos seus Anjos
que te guardem em todos os teus caminhos.

Tu, que habitas sob a protecção do Altíssimo,
moras à sombra do Omnipotente.
Ele te livrará do laço do caçador
e do flagelo maligno.

Não temerás o pavor da noite,
nem a seta que voa de dia;
nem a epidemia que se propaga nas trevas,
nem a peste que alastra em pleno dia.

Nenhum mal te acontecerá,
nem a desgraça se aproximará da tua morada.
Porque o Senhor mandará aos seus Anjos
que te guardem em todos os teus caminhos.

«Porque confiou em Mim, hei-de salvá-lo;
hei-de protegê-lo, pois conheceu o meu nome.
Quando Me invocar, hei-de atendê-lo,
estarei com ele na tribulação,
hei-de libertá-lo e dar-lhe glória».


ALELUIA Lc 2, 10
Refrão: Aleluia. Repete-se
Disse o Anjo do Senhor:
«Anuncio-vos uma grande alegria para todo o povo. Refrão


EVANGELHO Lc 2, 8-14
«Anuncio-vos uma grande alegria»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo,
havia naquela região uns pastores que viviam nos campos
e guardavam de noite os rebanhos.
O Anjo do Senhor aproximou-se deles
e a glória do Senhor cercou-os de luz;
e eles tiveram grande medo.
Disse-lhes o Anjo:
«Não temais,
porque vos anuncio uma grande alegria para todo o povo:
nasceu-vos hoje, na cidade de David, um Salvador,
que é Cristo Senhor.
Isto vos servirá de sinal:
encontrareis um Menino recém-nascido,
envolto em panos e deitado numa manjedoura».
Imediatamente juntou-se ao Anjo
uma multidão do exército celeste,
que louvava a Deus, dizendo:
«Glória a Deus nas alturas
e paz na terra aos homens por Ele amados».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Recebei, Senhor, estas ofertas
que apresentamos ao vosso altar
e fazei que, por intercessão do nosso Anjo da Guarda,
sejamos defendidos de toda a adversidade.
Por Nosso Senhor.


Prefácio dos Anjos


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Judite 13, 20.21
Bendito seja o Senhor, que me protegeu por meio do seu Anjo.
Dai graças ao Senhor, porque é eterna a sua misericórdia.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor, que nos alimentais
neste admirável sacramento de vida eterna,
dirigi os nossos passos, por meio do vosso Anjo,
no caminho da salvação e da paz.
Por Nosso Senhor.
 
   
Liturgia das horas  
Dos Sermões de São Bernardo, abade

(Sermão 1, Na Festa de S. Miguel Arcanjo, 2-3.5:
Opera omnia, Ed. Cisterc. 5 [1968], 295-297) (Sec. XII)

O ministério dos Anjos

Diz o Profeta, falando ao Pai a respeito do Filho: Fizeste-O um pouco inferior aos Anjos. Assim convinha, com efeito, que superasse os Anjos na humildade Aquele que os superava na sublimidade da sua glória, e que fosse tanto menor que eles quanto é inferior o ministério a que Se consagrou. E, no entanto, Ele é tanto superior aos Anjos quanto mais excelso que o deles é o nome que recebeu em herança.
Mas talvez perguntes: Em que é que Ele Se fez inferior aos Anjos, quando veio para servir, uma vez que também os Anjos, como dizíamos acima, são enviados para exercer um ministério? É que Ele não só serviu mas também foi servido, e era o mesmo Aquele que servia e era servido. Justamente por isso, dizia a Esposa no Cântico dos Cânticos: Ele aí vem, atravessando as montanhas, elevando-se sobre as colinas. Quando serve, Ele atravessa por entre os Anjos, mas quando é servido eleva-Se muito acima deles. Os Anjos servem, mas do que não lhes pertence: oferecem a Deus as boas obras, não suas mas nossas, e trazem-nos a graça, não sua mas de Deus. Por isso, quando a Escritura diz que o fumo dos aromas subia das mãos do Anjo à presença de Deus, teve o cuidado de advertir anteriormente que lhe tinham sido dados muitos aromas. São os nossos suores e não os seus, as nossas lágrimas e não as suas que eles oferecem a Deus; e os dons que nos trazem também não são seus, mas de Deus.
Não é assim aquele Servo, mais sublime que todos os outros mas também mais humilde que todos. Ofereceu-Se a Si mesmo como sacrifício de louvor; ofereceu ao Pai a sua vida e nos dá ainda hoje a sua carne. Não admira, portanto, que, por causa de tão glorioso Servo, os santos Anjos se dignem, ou melhor, queiram da melhor vontade, assistir- nos. Eles amam-nos, porque Cristo nos amou.
Digo-vos isto, meus irmãos, para que de hoje em diante tenhais maior confiança nos santos Anjos e invoqueis com maior familiaridade o seu auxílio em todas as necessidades, e também para que procureis tornar a vossa vida mais digna da sua presença, conciliar cada vez mais os seus favores, captar a sua benevolência, implorar a sua clemência.
Sendo assim, pensai bem quanta solicitude devemos ter também nós, irmãos caríssimos, para nos tornarmos dignos da sua companhia, para vivermos na presença dos Anjos, de modo a não ofendermos nunca a santidade do seu olhar. Ai de nós, se alguma vez, provocados pelos nossos pecados e negligências, nos julgarem indignos da sua presença e da sua visita, e tivermos de chorar e dizer com o Profeta: Os meus amigos e companheiros fogem da minha desgraça e os que andavam comigo ficam ao longe, enquanto os violentos procuram tirar-me a vida. Porque, então, teríamos realmente afastado de nós aqueles que com a sua presença podiam amparar-nos e repelir o inimigo.
Por isso, se nos é tão necessária a companhia familiar que se dignam ter connosco os Anjos, evitemos com todo o cuidado ofendê-los e exercitemo-nos com generosidade nas obras que sabemos serem do seu agrado. Há de facto muitas coisas que lhes agrada e deleita encontrar em nós: sobriedade, castidade, pobreza voluntária, frequentes gemidos e súplicas ao Céu, orações com lágrimas e de coração atento. Mas o que acima de tudo exigem de nós os Anjos da paz é a união e a paz. Será, porventura, estranho que eles ponham as suas delícias principalmente nestas virtudes que reproduzem uma certa imagem da sua cidade e que lhes permitem admirar uma nova Jerusalém na terra? Digo-vos, portanto, que assim como aquela cidade santa forma tão belo conjunto pela sua perfeita unidade, assim também nós devemos manter a unidade de sentimentos e doutrina, afastando do meio de nós toda a espécie de cisma, para formarmos todos um só Corpo em Cristo.